O primeiro time do Norte de Londres a alcançar as quartas-de-final da Champions League desde... o Tottenham de 2011.

O primeiro time do Norte de Londres a alcançar as quartas-de-final da Champions League desde… o Tottenham de 2011.

Por Guilherme Decourt

O Tottenham foi até a Alemanha com uma confortável vantagem após vitória por 3 x 0 na partida de ida, mas com as viradas espetaculares que a competição européia proporciona e a capacidade da equipe londrina de derrapar em momentos decisivos, o duelo estava longe de estar garantido antes do apito inicial. A fase não estava das melhores, somando apenas 1 ponto nos últimos 3 jogos da Premier League o torcedor não sabia o que esperar do time londrino. Mas o que se viu em campo foi uma fenomenal exibição defensiva, talvez a atuação defensiva mais sólida da era Pochettino e precisão cirúrgica nas, poucas, chances criadas que levou a equipe a uma vitória por 1 x 0 e classificação para as quartas-de-final da competição de clubes mais importante do planeta.
O jogo:
Como já era de se esperar, precisando reverter o placar, o time da casa veio com tudo no primeiro tempo mas não foi suficiente pra passar pela muralha Lillywhite, bem postado o time londrino conseguiu bloquear diversas chances com Sanchez, Sissoko, Eriksen e especialmente Vertonghen em um bloqueio magnífico e Ben Davies que foi essencial para negar Julian Weigl. E quando o time da muralha amarela conseguiu passar pelos nossos defensores, encontraram a muralha laranja, Hugo Lloris fez 7 defesas no primeiro tempo e foi de vitável importância em manter o zero no placar e frear o ímpeto alemão.
No segundo tempo parecia que se ia repetir o script da primeira etapa com Marco Reus conseguindo bons cruzamentos pelos flancos, mas logo aos 3 minutos Mousa Sissoko enfiou ótima bola para Harry Kane, que em sua primeira chance, mandou para o fundo das redes, selando a classificação. O time da casa sentiu e não conseguiu mais criar, e a partir daí foi só deixar o relógio correr e o Tottenham está classificado para as quartas-de-final.
Pontos do Jogo:
– Solidez defensiva: Uma muralha azul e branca, livre de erros individuais o time se defendeu com primazia e foi extremamente seguro. Fator muito decisivo em uma competição onde jogam os melhores ataques da Europa. O time que sofreu com diversos erros individuais nas partidas decisivas (Trippier – Chelsea e Man City, Sanchez – Arsenal, Lloris e KWP – Barcelona) conseguiu o clean sheet e vai pra próxima fase fortalecida tanto individualmente quanto coletivamente.
– Foco: Parece que o time aprendeu com a eliminação para a Juventus na temporada passada, onde fomos melhores na maior parte das duas partidas, e lapsos momentâneos custaram a classificação. O sistema defensivo funcionou perfeitamente sem NENHUM erro durante os 90 minutos.
– Adaptabilidade: O time que tem como marca registrada a posse de bola e a marcação pressão, jogou fora das suas características, contra um adversário que precisava buscar o resultado, e foi muito eficiente na sua proposta de jogo, mostrando capacidade de atuar em ótimo nível de acordo com a demanda que o duelo e adversário exigem.
– Recuperação: Vindo de resultados frustrantes na Premier League o resultado e atuação do time resgatam a confiança e pode ser uma mudança de chave importante para a reta final da temporada.
Notas dos Jogadores:
– Lloris (10): criticado em alguns momentos da temporada, tendo até sua titularidade contestada, o arqueiro teve uma exibição perfeita e segurou tudo que veio em sua direção, sendo quatro das defesas de alta dificuldade e de vital importância.
– Aurier (8,0): sem atacar muito foi muito sólido na defesa, cada vez mais merecendo a titularidade na lateral-direita.
– Alderweireld (9,0): Com a calma, classe e bom posicionamento de sempre. Que Levy faça o possível e o impossível para renovar com ele.
– Sanchez (9,0): após falhar no derby do final de semana, o colombiano se redimiu e teve excelente atuação, rebateu tudo e foi muito bem em interceptar os lançamentos adversários, não perdendo uma na velocidade.
– Vertonghen (10): mais uma atuação de gala de Super Jan, com destaque para o incrível desarme em Reus dentro da área quando a partida estava zero à zero. O homem das oitavas-de-final.
– Davies (9,0): excelente atuação do contestado lateral, bloqueou de forma magnífica Weigl na primeira etapa em lance dentro da pequena área.
– Winks (8,0): bem na proteção a defesa e na saída de bola, saiu machucado no começo da segunda etapa.
– Sissoko (9,5): o dono do meio-campo, anulou Reus, defendeu bem e foi a válvula de escape no primeiro tempo quando éramos pressionados. Assistência espetacular pro gol de Harry Kane.
– Eriksen (6,5): voluntarioso na marcação e bem taticamente mas mais uma performance de pouca criatividade do dinamarquês que não atravessa boa fase.
– Son (7,0): perdeu boa chance no primeiro tempo que teria liquidado o confronto, correu o tempo todo e apertou a saída de bola. O coreano que comandou o time na ausência de Kane, e atuou em duas competições com a seleção coreana (pós Copa do Mundo)tem sido muito exigido nessa temporada e quem sabe em alguma duelo teoricamente mais fácil possa ser poupado e ter um merecido descanso.
– Harry Kane (9,0): muito isolado na primeira etapa o furacão conseguiu prender bem a bola e na única boa chance que teve não perdoou. Com o gol de hoje ultrapassou Jermaine Defoe e se tornou o maior artilheiro do Tottenham em competições européias.
– Dier (7,0): entrou no lugar do lesionado Winks e manteve a solidez à frente da defesa.
– Lamela (6,0): o aniversariante da semana entrou no meio no lugar de Son com bom posicionamento porém com pouco brilho ofensivo (pra variar).
– Rose (s/n): assim como no final do derby contra o Arsenal, entrou no meio, dessa vez no lugar de Eriksen.

Com a classificação, o Tottenham aguarda o sorteio para saber seu adversário nas quartas-de-final que, possivelmente, será jogada no tão aguardado novo White Heart Lane. AUDERE EST FACERE. COYS

Facebook Comments