Porque as visitas ao Etihad Stadium são tão importantes

Porque as visitas ao Etihad Stadium são tão importantes

Tottenham e Manchester City não são grandes rivais em nível histórico, mesmo que a atual conjuntura da Premier League, acirre alguns confrontos entre times do big six, porém nos últimos anos talvez nada represente mais em termos de sinais para a temporada, em especial para os Spurs do que ir ao Etihad Stadium e os últimos anos comprovam isso.

2009/2010

Tudo começou em 2009/2010, quando os dois times brigavam pela última vaga para a Uefa Champions League da próxima temporada, os lillywhites visitavam um City que ainda começava seu projeto de novo rico, com nomes como Tévez, Robinho e Craig Bellamy, enquanto Roberto Mancini assumiu o time em dezembro, depois da demissão de Mark Hughes, enquanto os Spurs vinham de um bom começo de temporada com Aaron Lennon e Jermain Defoe, porém perderam contato com Manchester United e Chelsea ao longo da campanha.

A visita ao então City of Manchester Stadium, na 37ª rodada era tudo ou nada com time londrino, em vantagem por 67 a 66 em pontos, num jogo muito equilibrado, o Tottenham venceu por 1 a 0 no histórico gol do Crouch, que nos colocou na Champions pela primeira vez em quase 50 anos, mandando os Citizens para a Liga Europa.

2010/2011

No ano seguinte, novo embate entre os times por uma vaga na UCL, dessa vez os Spurs vinham em clara desvantagem, seis pontos atrás do rival com só nove em disputa, mas mesmo assim a equipe londrina seguia com alguma esperança de conseguir uma vaga na batalha com os Sky Blues e o Arsenal, porém o Tottenham dessa vez perdeu por 1 a 0, justamente com gol contra justamente de Peter Crouch e enterrou as chances do time de Harry Redknapp voltar a UCL, enquanto o rival praticamente se classificou pela primeira vez ao milionário torneio.

2011/2012

Nesta época batalhamos pelo título em determinado momento da temporada, na two horse-race entre United e City, porém um jogo fundamental desta campanha, foi a derrota por 3 a 2 em Manchester, no dia 22 de janeiro, os Citizens abriram 2 a 0 com Nasri e Lescott, mas o Tottenham empatou rapidamente com Defoe e Bale, no finzinho do jogo, por pouco Defoe não conseguiu a virada nos acréscimos, mas no lance seguinte, Ledley King fez uma penalidade máxima em Mario Balotelli que aos 50 do segundo tempo, deu números finais ao marcador.

O jogo escancarou a necessidade na época de um centroavante para o time, seria um Luis Suárez (foi para o Liverpool naquela janela) que jamais veio, após algumas semanas os Spurs perderam o terceiro lugar para o Arsenal e a vaga na UCL por conta do título europeu do Chelsea no fim da temporada, que também coroou o título Sky Blue.

2013/2014

Os times tiveram um hiato de uma temporada sem jogos importantes em Manchester, mesmo que o Tottenham tenha garantido o título do United ao vencer o City por 3 a 1 em 2012/2013, aquele confronto foi em Londres e o destino dos times não se alterou/alteraria qualquer que fosse o resultado. Na época seguinte, os Spurs foram a Manchester cheios de esperança com um elenco que poderia brigar pelo título, com as contratações pós-venda de Gareth Bale.

Mas não foi o que ocorreu e o time azul de Manchester bateu os Spurs por 6 a 0, com dois gols de Jesus Navas e Aguero duas vezes cada, além de Sandro (contra) e Alvaro Negredo, os lillywhites que foram um desastre em clássicos naquela temporada, viram o questionamentos sobre o trabalho de André Villas-Boas aumentar, até ele cair quatro rodadas depois, no revés de 5 a 0 contra o Liverpool. O City levou o título neste campeonato, os londrinos terminaram em sexto.

2014/2015

Pochettino também não estreou bem em Manchester, num time em formação ainda sem pilares do time atual como Harry Kane, que ainda era reserva de Soldado. No jogo em questão, o atacante espanhol perdeu um pênalti quando o jogo estava 2 a 1, mais uma vez Aguero brilhou com três gols na conta e os Spurs que viveram um período de transição durante todo 2014/2015, onde a equipe terminou na quinta colocação.

2015/2016

Na segunda temporada do argentino no comando do clube, tivemos um resultado bem melhor, em 14 de fevereiro de 2016, no dia do aniversário de Eriksen o meia marcou um dos gols da vitória por 2 a 1 (Iheanacho e Kane completaram o placar) onde o Tottenham confirmou-se como principal perseguidor do Leicester City (que seria o campeão), enquanto os Citizens ficariam pelo caminho, longe da disputa pelo título, no quarto lugar.

2016/2017

A nossa ida ao Etihad dessa vez, foi em 21 de janeiro de 2017, dia da estreia de Gabriel Jesus na Inglaterra e já com Pep Guardiola, os Spurs vinham de oito vitórias seguidas, os dois times novamente brigavam para ser o principal perseguidor do campeão, dessa vez foi o Chelsea. O jogo que foi emocionante, terminou em 2 a 2 com gols de Leroy Sané e Kevin De Bruyne para os azuis, enquanto que Dele Alli e Son empataram para o Tottenham, que foi o vice-campeão, enquanto o City foi o terceiro longe da briga pelo título.

2017/2018

Em 16 de dezembro do mesmo ano, os Spurs foram encarar os invictos na época, no caso o City, o time que se ressentia da ausência de Alderweireld, perdeu por 4 a 1 em jogo que o Tottenham teve muitas grandes dificuldades ofensivas, os gols do jogo foram de Gundogan, De Bruyne e Sterling (duas vezes), com Eriksen descontando no fim. Os Spurs passaram longe de disputar o campeonato e terminaram em terceiro, enquanto os Citizens seguiram em sua velocidade de cruzeiro, rumo ao título.

2018/2019

Na última temporada, tivemos um “plus” primeiro com a classificação épica, na derrota por 4 a 3, com direito a revisão do VAR, num jogo elétrico que nos permitiu chegar a semifinal da Uefa Champions League, três dias depois um time com muitos problemas físicos, continuou em Manchester num jogo que “importou menos” e contou com gol solitário de Phil Foden para garantir o 1 a 0 para o City no caminho para o bicampeonato da Premier League.

Facebook Comments